Frigoríficos comemoram sinalização para o fim da inspeção sanitária pelo Mapa

11 de Abril de 2019

 

Rdnews.com.br - Os empresários dos frigoríficos em Mato Grosso estão satisfeitos com a proposta da ministra da Agricultura (Mapa), Tereza Cristina, que criou um comitê de auto-inspeção, que prega o autocontrole sobre as normas sanitárias pelas próprias indústrias, pondo fim ao sistema que funciona hoje - feito por órgãos oficiais do governo.

Vinícius Bruno

Reação ocorre após ministra da Agricultura Tereza Cristina criar comitê de auto-inspeção

A medida está sendo discutida dois anos após o país viver um dos episódios mais aterrorizantes envolvendo a indústria da carne, que veio à tona com a Operação Carne Fraca, em 2017. O esquema contava com a participação de fiscais do Mapa, que recebiam propina para acobertar as irregularidades em redes frigoríficas no país.

A ministra garante que a medida só entrará em vigor quando existir segurança para essa autofiscalização pelas próprias indústrias. Por outro lado, a operação identificou a venda de carne com a bactéria salmonnella, mesmo com a fiscalização do governo.

A interrogação que fica é se o setor terá maturidade e compliance suficientes para fazer uma produção de carne idônea sem desrespeito às normas sanitárias, que não serão mais fiscalizadas, como propõe a ministra.

Por outro lado, o setor empresarial se sente contemplado com a medida. “A aposta da ministra é um desafio na modernização de um sistema de inspeção. É acreditar no novo, no moderno, porque não dizer no ser humano? Uma sociedade não evolui se não acreditar que pode ser melhor”, avalia o presidente do Sindifrigo, Paulo Bellincanta.

Para Bellincanta, a tendência de redução do controle feito pelo Estado sobre as indústrias de carne e de outros tipos de indústria é necessário para garantir um “Estado mais leve” e garantir mais agilidade.

Entre as alterações propostas pelo Mapa está a retirada dos médicos veterinários credenciados pelo governo, que ficam em tempo integral nos frigoríficos. A medida, que tem sido tratada como “a entrega do galinheiro aos cuidados das raposas”, é na visão de Bellicanta auto-suficiente já que as indústrias de carne possuem capacidade para se inspecionarem.

“Temos uma indústria com excelente estrutura física e com departamentos de controle de qualidade aptos a responderem aos mercados mais exigentes do mundo. É dentro deste cenário positivo, com otimismo, que vemos hoje o Ministério da Agricultura fazendo sua aposta na modernização. A ministra Tereza Cristina responde com uma ação audaciosa e positiva à injusta dúvida a que o setor e o próprio ministério foram submetidos”.

Leia a matéria original:

https://www.rdnews.com.br/economia-e-agronegocio/conteudos/112738

 



Escrever

Comentários (4)

Enviado em: 12/04/2019 08:34:12

Autor: Joao slberto guerreiro


Isso ou essa forma de entregar a inspeção de carnes para os próprios donos não da certo e nunca vai dar é mesmo q mandar um bode cuidar da horta. Os compradores estrangeiros não aceitam esse tipo de fiscalização e um perigo para as exportações de produtos de origem animal. O Brasil não tem honestidade pelo q faz.


Enviado em: 12/04/2019 06:25:45

Autor: Jose Dantas


O mercado externo não acredita em Papai Noel. Quem garante a qualidade da carne somos nós (SIF) e não as empresas.


Enviado em: 11/04/2019 12:07:07

Autor: Emir Barros Rojas


Vão dar um tiro no pé com esse tipo de inspeção, você acredita que o empresário Brasileiro está preparado para realizar à inspeção.


Enviado em: 11/04/2019 12:07:00

Autor: Emir Barros Rojas


Vão dar um tiro no pé com esse tipo de inspeção, você acredita que o empresário Brasileiro está preparado para realizar à inspeção.


Ver mais Ver menos


{"controller":"index","action":"noticia","tipo":"midia","id":"4573","module":"default"}